Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

Artigo

O andor da Previdência – artigo do Pereira de Guarulhos

No Brasil, temos o mau costume de retardar o debate necessário e, por isso, viver adiando a solução dos problemas de interesse coletivo. Porém, quando decidimos resolver as coisas, queremos fazer tudo ao mesmo tempo.

É o caso da reforma da Previdência, que o governo vem conduzindo a toque de caixa, sem o cuidado de ouvir especialistas e as partes diretamente interessadas, principalmente os trabalhadores. Sequer o Dieese foi ouvido.

Cito o Dieese pelo fato dessa importante entidade haver produzido a esclarecedora Nota Técnica 168 – “PEC 287: A minimização da Previdência Pública”. A Nota tem sido amplamente discutida pelo sindicalismo e será também um dos documentos básicos na 13ª Jornada Nacional de Debates, que o Dieese inicia dia 23, com rodadas em todas as Capitais e em diversas cidades do Interior.

As Centrais Sindicais têm alertado que a pressa não ajuda. Se o governo, por seu lado, apresenta números altos de um eventual déficit, entidades como a Anfip, por outro, mostram que a Seguridade Social – e no seu conjunto – é superavitária. Vale lembrar que esse conflito de números levou o próprio Tribunal de Contas da União a instalar auditoria nas contas previdenciárias.

O governo faz propaganda pesada em defesa de seu projeto, alegando urgência. Mas omite que, desde o governo Fernando Henrique, a Previdência Social vem passando por mudanças. O próprio FHC criou o drástico Fator Previdenciário; Lula impôs descontos para Servidores inativos e criou teto; e Dilma, após negociação com o sindicalismo e o Congresso, fixou, em 2015, a fórmula 85/95 para a aposentadoria.

Segunda, dia 20, a Força Sindical recebeu em São Paulo o deputado Artur Maia, que é o relator da proposta de reforma, a chamada PEC 287. O encontro mostrou que o sindicalismo forcista tem pesadas críticas à iniciativa, embora em nenhum momento se negue a negociar. O deputado Paulinho da Força explicou suas emendas e criticou a pressa desnecessária em se decidir assunto tão importante para a Nação.

No Interior, existe o ditado: devagar com o andor, porque o santo é de barro. É o caso da reforma da Previdência. Se a gente não tomar cuidado, desorganizamos nossa Seguridade, gerando forte exclusão social.

Darcy – Dia 19, marcou 20 anos da morte do professor Darcy Ribeiro. Foi um brasileiro exemplar, educador genial e trabalhista autêntico. O Brasil será melhor quando conhecer direito quem foi esse pequeno gigante que saiu de Montes Claros, em Minas Gerais, e ganhou o mundo.

José Pereira dos Santos
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região e secretário nacional de Formação Sindical da Força Sindical

Facebook: www.facebook.com/PereiraMetalurgico

Blog: www.pereirametalurgico.blogspot.com.br

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS