Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

Notícias

Miguel Torres

Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos) e vice-presidente da Força Sindical

Miguel Eduardo Torres, 58 anos, é casado e tem três filhas.
Começou a trabalhar aos 14 anos na área metalúrgica, é ativista sindical desde 1979 e atua no Sindicato desde 1982, tendo ocupado vários cargos até ser eleito presidente, em 2008.

Em sua trajetória, tomou a iniciativa de várias ações em defesa dos direitos trabalhistas, melhores condições de vida, trabalho e renda para os trabalhadores metalúrgicos, bem como de outras categorias, e ações de cidadania e de inclusão social de desempregados, jovens, aposentados e população desassistida.

Em 2000, ajudou a Força Sindical na coordenação da Marcha para Brasília pelo pagamento das perdas do FGTS e aumento do salário mínimo; em 2002, foi  membro titular do Conselho Nacional da Assistência Social (CNAS).

Em 2010, assumiu interinamente, pela primeira vez, a presidência da Força Sindical. Em 2011, foi eleito presidente da CNTM, entidade com 157 filiados, que representam mais de 1 milhão de metalúrgicos no Brasil.

Foi um dos idealizadores do movimento “Grito de Alerta – Em defesa da Produção e do Emprego”- e contra a desindustrialização, em 2012.
Participa de ações unitárias das centrais sindicais pelo desenvolvimento do Brasil, com valorização do setor produtivo, trabalho decente, redução dos juros.

Participa, junto aos governos federal, estadual e Congresso Nacional, de discussões das questões trabalhistas, previdenciários e sociais.

De outubro de 2013 a janeiro de 2016 esteve novamente na presidência da Força Sindical trabalhando pela unidade do movimento sindical e pela Pauta Trabalhista*.

Defende, no meio sindical e junto aos governos federal e estadual, o Compromisso pelo Desenvolvimento**, documento elaborado em conjunto com o Sindimaq (indústria de máquinas) e Sinaees (eletroeletrônicos), e o Programa da Sustentabilidade Veicular*** (Programa de Renovação da Frota de Veículos)  como alternativa para a retomada da produção e do crescimento econômico, e geração de emprego e renda em toda a cadeia automotiva.

Ações sociais
Defensor de que a luta sindical não está desvinculada dos problemas sociais do país e de tudo o que envolve a vida do trabalhador e de sua família, Miguel Torres tem tomado a iniciativa de desenvolver ações sociais e de cidadania.
Em 1998, foi um dos coordenadores da Campanha de Arrecadação de Alimentos aos Irmãos Nordestinos (contra a fome)
Em 2015, 2016 e 2017 fez as Campanhas do Agasalho e de Alimentos e Brinquedos junto à categoria metalúrgica, cujas doações são entregues a entidades assistenciais, moradores de rua e comunidades vítimas de incêndio.

Luta pelos direitos
É uma das lideranças à frente da luta do movimento sindical contra as reformas do governo federal (trabalhista, previdenciária, terceirização ampla) e idealizador do movimento Brasil Metalúrgico de unidade contra a aplicação da lei (reforma) trabalhista e pela garantia dos direitos. O movimento reúne sindicatos, federações e confederações metalúrgicas de todo o País, ligadas a todas as centrais sindicais.

*Pauta Trabalhista (algumas propostas): continuidade da política de valorização do salário mínimo (PL 7.185/14); redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais (PEC 231/95); fim do fator previdenciário (PL 3.299/08); fim da contribuição previdenciária dos aposentados (PEC 555/06); destinação de 10% do PIB para a Educação Pública, como está previsto no Plano Nacional de Educação (PNE – PL 8.035/10); 10% do orçamento da União para a saúde (PLP 123/12); correção da tabela do Imposto de Renda; rejeição do projeto que amplia a terceirização (PL 4.330/04); regulamentação de duas convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT), a 151, prevista no PL 5.261/13, que normatiza a organização sindical dos servidores públicos, e a 158, prevista no PLP 8/03, que regulamenta a demissão sem justa causa.

** Compromisso pelo Desenvolvimento: apresenta propostas para a retomada do investimento público e privado em projetos de infraestrutura, especialmente na área de concessões públicas, criação de condições para o aumento da produção e das exportações da indústria de transformação e a ampliação do financiamento do capital de giro para as empresas.

*** Programa de Renovação da Frota de Veículos: elaborado em unidade com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Anfavea e Dieese

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS