Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

Metalúrgicos de São Paulo/SP

Sindicato e trabalhadores repudiam prática antissindical e assédio moral da Tecnotrafo

cris

tecnotrafo640

migueltrafo

Em assembleia realizada nesta segunda, 1 de agosto, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes protestou contra as demissões ocorridas recentemente na Tecnotrafo, as práticas antissindicais e o assédio moral cometido por um dos sócios da empresa contra os trabalhadores.

Os trabalhadores da Tecnotrafo haviam denunciado o assédio moral na empresa e, em represália, duas trabalhadoras e dois trabalhadores foram demitidos.

“Ninguém tem o direito de humilhar, maltratar e pressionar os trabalhadores. Estamos juntos na luta contra a crise, inclusive reivindicando mais investimentos para as indústrias, e, portanto, exigimos que os trabalhadores e as trabalhadoras sejam tratados com respeito”, diz Miguel Torres, presidente do Sindicato e da CNTM e vice-presidente da Força Sindical.

A pressão surtiu efeito e a empresa marcou reunião com o Sindicato para a próxima sexta, 5 de agosto, às 15h30. “Queremos resolver a situação dos demitidos e exigimos o fim do assédio moral e da prática antissindical. Caso contrário, faremos paralisações diárias de duas horas em protesto”, diz a diretora Cristina.

“O Sindicato não descarta entrar na justiça contra o assédio moral cometido e também contra o que pode ser considerado prática de ato antissindical da empresa”, diz a advogada Liliam Pascini, do departamento jurídico do Sindicato.

A Tecnotrafo produz transformadores, emprega cerca de 80 trabalhadores e está localizada no bairro Santa Catarina, região sul de São Paulo.

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS