Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

CNTM

Retração do PIB prejudica campanhas salariais

“A retração do PIB (Produto Interno Bruto) neste 2º semestre é resultado da política econômica equivocada adotada pelo governo.

Este dado é nefasto para as campanhas salariais das categorias com datas-base no segundo semestre, pois irá dificultar e prejudicar as negociações e os índices de reajustes.

Esta é a segunda vez consecutiva que o PIB encolheu, e, com isto, fica clara a incompetência da equipe econômica do governo. Vale destacar que isto não acontecia desde a crise financeira global de 2008 e 2009.

O Brasil não vai alavancar economicamente sendo campeão mundial em taxa de juros e praticando uma nefasta política de incentivo às importações e à desindustrialização. Os números apresentados devem servir de alerta para o governo, visto que nossa economia está em franca recessão.

Para evitarmos o pior – o corte desenfreado dos empregos nacionais – é preciso criar uma estratégia voltada para o desenvolvimento, com foco na justiça social, no desenvolvimento sustentável, na geração de empregos e no crescimento econômico.

Medidas como uma queda drástica nos juros, o fortalecimento do mercado interno, expansão do emprego, distribuição da renda e incremento dos investimentos em infraestrutura e nas políticas sociais são fundamentais para estimular o crescimento da economia.

O governo precisa, em sintonia e diálogo com os trabalhadores e com todo o setor produtivo, aprofundar a política de fomento à economia. A classe trabalhadora anseia por medidas que promovam a distribuição de renda e a diminuição das desigualdades sociais existentes no País”.

Miguel Torres
presidente da Força Sindical, CNTM e Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS