Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

Notícias

Proposta da Bosch é reprovada e greve continua


Caso a empresa ofereça uma nova proposta até o final da tarde de hoje, será realizada uma assembleia na manhã desta quarta-feira (22)

Os 3,65 mil metalúrgicos da Bosch rejeitaram a nova proposta apresentada pela empresa e continuam de braços cruzados. A greve entra hoje no 5º dia. A maior metalúrgica do Paraná apresentou uma proposta de Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) muito abaixo do que o mercado vem pagando.

A Bosch ofereceu uma PLR de R$ 6 mil para 100% das metas, R$ 7 mil para 115% das metas (o que é inatingível, pois as metas já estão extremamente arrochadas) e R$ 8 mil para 130% das metas (patamar igualmente inatingível), com 1ª parcela de 5,2 mil para julho.

Empresas de mesmo porte fecharam uma PLR bem maior do que a apresentada pela Bosch, como é o caso da CNH (R$ 8 mil), da Renault (R$ 12 mil), da Volvo (R$ 15 mil) e da Volks (R$11,5 mil). Indústrias de porte menor também estão pagando PLR maiores, tais como a Cabs (60 funcionários e PLR de R$ 7 mil para 100% das metas) e a Seccional (63 funcionários e PLR de R$ 8 mil para 100% das metas).

Caso a Bosch ofereça uma nova proposta até o final da tarde de hoje (21), será realizada uma nova assembleia na manhã desta quarta-feira (22) para definir os rumos da mobilização. Caso a empresa não se manifeste e não apresente uma nova proposta, uma nova assembleia será realizada apenas na próxima segunda-feira (27).

Na avaliação do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, a proposta apresentada pela Bosch está abaixo do esperado pelos trabalhadores. “Temos que considerar o valor para 100% das metas, por que na Bosch jamais foi alcançado acima de 104%, e R$ 6 mil está muito abaixo do valor reivindicado pelos trabalhadores”.

A reivindicação dos metalúrgicos é de uma PLR de, no mínimo, R$ 9 mil para 100% das metas, valor que representa a média dos benefícios de PLR pagos por empresas do porte da Bosch.

Administrativo aprova proposta
Os 950 trabalhadores do setor administrativo da Bosch aprovaram a proposta em assembleia na manhã de hoje e voltaram a trabalhar .

Bosch Curitiba
A fábrica da Bosch, localizada na Cidade Industrial de Curitiba, produz bombas injetoras para sistemas a diesel. A empresa possui mais três plantas no Brasil: duas em Campinas (SP) e uma em Aratu (BA), as quais empregam que empregam 6,6 mil trabalhadores. As unidades instaladas no país fabricam produtos e prestam serviços automotivos para montadoras e para o mercado de reposição, ferramentas elétricas, sistemas de segurança, termotecnologia, máquinas de embalagem e máquinas industriais. Em 2010, os lucros da Bosch mundial chegaram a R$ 118 bilhões.

Greve Bosch
Esclarecimento à sociedade

O Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC) esclarece que, diferente do divulgado pela Bosch, os trabalhadores do chão de fábrica da empresa não aceitaram a proposta de PLR 2011 e continuam em greve. Assim como ocorreu nas recentes mobilizações na Volvo e na Volkswagen, apenas os funcionários do administrativo aceitaram a proposta e voltaram a trabalhar. Os metalúrgicos do chão de fábrica recusaram a proposta e continuam paralisados.

CLIQUE AQUI e confira as imagens da reprovação da proposta pelo chão de fábrica da bosch, tomada na manhã desta terça-feira, 21 de junho de 2011.

Por Confraria da Notícia e Assessoria de Imprensa do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC)
www.simec.com.br

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS