Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

Trabalho

Centrais Sindicais entregam Agenda da Classe Trabalhadora ao Ministro do Trabalho e exigem mudanças

 

Foto: André Figueiredo

Presidentes e representantes das centrais sindicais Força Sindical, NCTS, UGT, CSB e CTB reuniram-se nesta terça, 7 de agosto, em Brasília, com o Ministro do Trabalho, Caio Vieira de Mello.

Miguel Torres, presidente interino da Força Sindical e presidente da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, disse que foi entregue ao ministro a Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora e um pedido de recomposição do Comitê de Estudos Avançados Sobre o Futuro do Trabalho.

As centrais sindicais querem a alteração do nome do sindicalista Paulo Roberto Brito Pereira, por outro nome definido pelas centrais, e defendem que o Comitê torne-se um espaço de amplos debates democráticos sobre o mundo do trabalho e o fortalecimento das entidades sindicais dos trabalhadores e dos empregadores.

“O Comitê foi criado para tratar de questões ligadas à proteção dos trabalhadores diante da automação sem nenhuma conversa com as centrais”, diz Miguel Torres. Representantes de vários outros órgãos, inclusive do setor patronal, vão compor o Comitê. Miguel Torres lembrou também ao Ministro que o Conselho Nacional do Trabalho também não foi ouvido.

O Ministro prometeu avaliar as propostas, corrigir os problemas apontados e envolver o Dieese e representantes das centrais nos debates e trabalhos do Comitê.

Os dirigentes sindicais aproveitaram o encontro para reforçar a denúncia de que a lei da reforma trabalhista precariza as relações de trabalho, é um retrocesso e não ajuda em nada a retomada dos empregos e do crescimento econômico. Também defenderam que o Ministério do Trabalho volte a ser protagonista na defesa dos direitos da classe trabalhadora e de melhores condições de trabalho, na luta pela geração de emprego e por inclusão social.

 

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS