Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

Metalúrgicos da Grande Curitiba/PR

METALÚRGICOS DA RENAULT REPROVAM PACOTE QUE INCLUI 800 DEMISSÕES E DÃO PRAZO DE 72H PARA EMPRESA VOLTAR A NEGOCIAR COM SINDICATO

Na tarde de sexta-feira, 17 de julho de 2020, a maioria dos metalúrgicos da Renault, em São José dos Pinhais, reprovou a proposta da empresa que engloba Plano de Demissão Voluntária (PDV), Plano de Demissão Involuntária (PDI), Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e data-base (Veja clicando AQUI)

A negativa foi sinalizada em assembleia liderada pelo Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC) na porta de fabrica e transmitida na Live SMC (veja abaixo).

Agora a montadora tem 72h, contando os dia úteis, para voltar a negociar e apresentar uma proposta que seja de consenso com o Sindicato.

Caso contrário, os trabalhadores poderão entrar em greve a partir da próxima quarta-feira(22).

Antes da votação, o SMC informou todos os detalhes para os trabalhadores através das mídias online e também na assembleia de hoje com todos os cuidados de distanciamento.

A proposta tem como variável principal os reflexos da pandemia da Covid-19 no volume de produção e apresenta pontos preocupantes, a exemplo das “800 adesões necessárias ao PDV”, conforme comunicado da Renault.

Para o presidente do SMC, Sérgio Butka, “essa proposta é ruim para trabalhadores que saem e ruim para os trabalhadores que ficam”. Butka elencou 5 pontos cruciais para a reprovação da proposta imposta pela empresa (Veja AQUI).

A unidade brasileira da Renault emprega 7300 trabalhadores que produzem os modelos Sandero Stepway, Logan, Kwid, Duster, Oroch, Master e Captour. A fábrica ainda conta com uma unidade de motores e injeção de alumínio.

Veja o vídeo:

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS