Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

Coronavírus

Conselheiros das centrais no Sesi/Senai propõem ações com a CNI contra a pandemia

Brasília, 19 de março de 2021

Ao Senhor Robson Braga de Andrade

Presidente Confederação Nacional da indústria – CNI 

Diante do agravamento da crise sanitária causada pelo  SARS-Cov-2, do colapso do sistema de saúde e dos hospitais, que colocou o Brasil como epicentro  mundial do Covid-19, devido ao recorde de mortes em 24 horas, durante 20 dias seguidos; 

Diante de mais de 300 mil mortes acumuladas, número atingindo justamente  1 ano após a primeira morte oficial registrada, de brasileiro por Covid-19;

Diante da incapacidade e negligência do Governo Federal de testar a população. Menos de 50% dos exames RT-PCR adquiridos  pelo Governo Federal foram utilizados, 3,7 milhões desses exames perdem a validade  entre abril e inicio de junho de 2021;  

Diante do já conhecido descompasso entre oferta e demanda de vacinas no mundo, que pode levar um quadro de escassez absoluta de vacinas; 

Diante do ritmo lento da vacinação, insuficiente para vacinar no primeiro semestre de 2021, inclusive os grupos prioritários relacionados no Plano Nacional de Vacinação (PNI), segundo estimativas, nesse ritmo, concluiríamos a vacinação no Brasil em 3 ou 4 anos, contabilizando centenas de milhares mortes;

Diante da baixíssima taxa de vacinação – no Brasil foram vacinadas, com ao menos uma dose,  aproximadamente 5% da população;

Diante a oportunidade, ainda que tardia, de tornar a vacinação da população brasileira mais eficiente, eficaz e efetiva, ainda em 2021;

Diante da experiência do SUS em vacinação em massa da população, reconhecida mundialmente, inclusive pela Organização Mundial da Saúde- OMS;

Diante da necessidade urgente de se implementar estratégia sistêmica e republicana, coordenada pelo Ministério da Saúde de combate à Pandemia, através das medidas de prevenção, hospitalização,  testagem e vacinação da população e dos trabalhadores; 

Diante da necessidade,  da centralidade; da distribuição universal, homogênea e equitativa das vacinas;

Diante da necessidade de mais detalhamento das definições e especificações dos grupos prioritários, sobretudo aqueles essenciais e prioritários para manutenção da saúde, educação, transporte, alimentação, segurança e produção industrial;

Diante do esforço de trabalho e de diálogo tripartite no âmbito dos Conselhos do Sesi e Senai; 

Diante de ofício encaminhado pelos representantes dos Trabalhadores no âmbito do Conselho Nacional do SESI,  manifestando a preocupação com relação ao cenário gravíssimo para 2021, inclusive sugerindo reunião extraordinária ainda em 2020; 

Consideramos que o momento é gravíssimo e necessita de ação conjunta da sociedade, trabalhadores e representantes do setor empresarial, exigindo:

  • Vacinação mais rápida possível para toda populção;
  • Maior aporte de recursos ao SUS e restauração da gestão profissional do Ministério da Saúde; 
  • Reforço e maio rigor nas medidas de distanciamento social; 
  • Retomada da testagem e rastreamento de contatos, em linha com as melhores práticas adotadas em países cuja contaminação e mortalidade estão controladas;  
  • Implementação de Lockdowns coordenados, dento do possível, planejados e articuladas com objetivo de reverter às curvas de contágio;
  • Revisão dos protocolos e das especificações de máscaras indicadas para as novas variantes do Coronavirus;
  • Subsídio do Governo Federal para a produção e distribuição gratuita de máscaras adequadas para os trabalhadores da indústria e de toda a população;
  • Apoio e aporte de recursos públicos emergenciais para trabalhadores e empresas, sobretudo micro, pequenas e médias empresas;
  • Revisão e aprofundamento do debate sobre prioridade de vacinação para atividades essenciais, inclusive da indústria;
  • Maior transparência dos dados sobre testagem, contaminações e vacinação (quanto ocorrer) dos trabalhadores(as) da indústria;
  • Criação de Comitê Científico multipartite de crise no âmbito do Sesi/Senai e no âmbito federal, visando aperfeiçoar a tomada de decisão com relação às ações de combate à pandemia. 

Assinam o documento: 

Conselheiros representantes das Centrais Sindicais no Conselho do Sesi e Senai. 

Alexandre D. Martins (UGT) – SESI

Aprigio Guimaraes  (NCST) – SENAI

Arthur B. Camargo (NCST)  – SESI

Francisca Trajano S. (CUT) SESI

Herbert Passos (FS) SESI

José Agnaldo Pereira (UGT)  – SENAI

José Pereira dos Santos (FS) – SENAI

José Roberto Nogueira (Bigode) ( CUT)-  SENAI

Osvaldo Mafra (FS)  – SENAI

Paulo Chitolina (CUT) –  SENAI

Quintino Marques (CUT) –  SESI

Rogério Aquino (FS) – SESI

Valeir Ertle (CUT)  – SENAI

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS