Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

Metalúrgicos de Osasco/SP

Comissão da Verdade ouve representantes da Cobrasma

A Greve de Osasco de 1968 sob o ponto de vista da administração da Cobrasma é o ponto de partida do depoimento de Roberto Luiz Pinto Silva e Esterlino Pereira de Souza, na segunda-feira, 3, para a Subcomissão Entidades Civis da Comissão da Verdade de Osasco.

Roberto era chefe do departamento de Recursos Humanos e Esterlino, funcionário do Jurídico da empresa. O relacionamento da empresa com os órgãos de repressão também será abordado.

Na semana seguinte, a subcomissão também ouve um dos responsáveis pela empresa, Luiz Eulálio de Bueno Vidigal Filho, que será questionado com o mesmo enfoque, na segunda-feira, 10.

Os depoimentos acontecem a partir das 9h, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, na r. Erasmo Braga, 310, em Presidente Altino, Osasco.

Agenda – Ainda na segunda-feira, 3, a Comissão da Verdade também ouve o depoimento de familiares de Zequinha Barreto, uma das lideranças da Greve de Osasco, assassinado em companhia do capitão Carlos Lamarca.

Já na quarta-feira, 5, é a vez do ex-prefeito de Osasco, Francisco Rossi, que irá abordar a perseguição a UEO (União dos Estudantes de Osasco).

Os depoimentos acontecem na Câmara de Osasco, às 15h, com transmissão ao vivo pelo www.tvcamaraosasco.com.br

A subcomissão Entidades Civis é coordenada pelo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, Jorge Nazareno, e tem como objetivo a investigação das perseguições praticadas às organizações de trabalhadores, estudantes e da sociedade civil em geral, como parte das responsabilidades da Comissão Municipal da Verdade de Osasco.

Por Cristiane Alves
ASSESSORIA DE IMPRENSA

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS