Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

Metalúrgicos de Goiânia/GO

Carta aos trabalhadores

 

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Goiânia, Eugênio Francisco de Oliveira, escreveu uma carta aos trabalhadores metalúrgicos sobre uma possível paralisação da categoria frente à resistência do sindicato patronal em fechar o reajuste salarial.

CARTA AOS TRABALHADORES

Goiânia, 11 de maio de 2018

A indignação que já existia começa a se transformar em emoções mais fortes. Mesmo com 13 milhões de trabalhadores em situação de desemprego, outros milhões sofrem para conseguir um aumento salarial digno. É corte de direitos só pro lado de cá, o dos trabalhadores. Dor, raiva, estagnação? Tem de sobra! Aquele sentimento de desvalorização, não só profissional, mas como ser humano, toma conta com uma dor quase insuportável.

O enfrentamento pode ser árduo e às vezes não reconhecido, mas a injustiça me faz acreditar que, se juntarmos forças, podemos resistir. As histórias de união e mobilização dos trabalhadores estão baseadas em vários absurdos, opressões e mortes. Nunca foi e nunca será fácil. Muitas vitórias e conquistas e, ainda sim, deparamos com uma força contrária regida pelo capital para diminuir direitos e desrespeitar a quem tanto se entrega em seu trabalho.

Por isso, o nosso potencial se concentra em união e garra para resistir ao capital e ao governo, que de nós só quer retirar, enquanto mantemos e geramos o que precisava ser reconhecido.

Os metalúrgicos da grande Goiânia estão sofrendo com o desrespeito e a falta de sensibilidade do patronal. O engraçado é que eles ainda conseguem nos surpreender com a mesma insensibilidade. Sobre o tal segmento que eles tanto falam, nós já conhecemos essa história. Estão pagando pra ver… E irão ver a nossa força.

Firme na luta, avante na batalha e resistir até o fim!

EUGÊNIO FRANCISCO DE OLIVEIRA

Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Goiânia e Região Metropolitana.

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS